Autor

Minha foto

Arquiteto e Urbanista, sócio fundador do escritório FAUST arquitetura em 2005, trabalhando no mercado de arquitetura, engenharia e design. Graduado pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC em 2004.Pós-graduado em Espaço celebrativo litúrgico e arte-sacra na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia [FAJE].
Assina a autoria de 108 Igrejas, 22 salões paroquiais, 18 centros de evangelização, 5 sedes de ação social e 8 casas paroquiais, em 13 estados, 57 cidades no Brasil e no México. Além disso participou em outros projetos e obras como consultor. Ministra palestras e Cursos em Arquitetura Sacra. Escreve artigos para a revista Paróquias e Casas Religiosas de São Paulo.


CONTATO

arq.Eduardo.Faust | CAU A44041-8 | FAUST arquitetura | CAU 33490-1

■ Cel. whatsapp | 48 | 999779388 EMAIL | contato@eduardofaust.com
SITE | eduardofaust.com
■ FACEBOOK | facebook.com/FAUST.eduardo

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

■ Igreja Matriz NS Perpétuo Socorro | T.Sampaio SP | Autor Ed.Faust

■ Localização | Teodoro Sampaio – São Paulo
■ Diocese de Presidente Prudente - Paróquia NS do Perpétuo Socorro
■ Pároco | David Aparecido Bezerra da Silva
■ Autor | Arq Eduardo Faust
■ Projetos | FAUST arquitetura & engenharia
■ Equipe | Arq Gustavo da Luz; Arq Renato Campos; Eng Conrado Faust



Situação antes do projeto
Desenvolvi o projeto a partir do esqueleto estrutural já construído, partindo da releitura do formato basilical e dividindo o espaço interior em 3 naves: central que se encontra assembléia e o presbitério; uma das laterias leva ao santíssimo e outra ao batistério. Arcada de fundos além de conectar batistério e santíssimo gera a capela do ícone de Nossa Senhora de Perpétuo socorro. 










■ Colossal Buda de Leshan


leshan-emeishan-china-1492.jpg
Iniciada no ano de 713 [dinastia Tang] pelo Monge Budista Haitong [Mosteiro Lingyun], a colossal escultura foi construída para proteger os barcos que por muitas vezes naufragavam na travessia dos rios Dadu Hé e Min Hé.
1.jpg Leshan (1)2.jpg LeshanBuddha_uxga2.jpg LeshanBuddha_uxga.jpg
Conhecido como Dafo, o grande Buda de Leshan foi finalizado pelos monges Zang Chou e Wei Gao em 803 [dinastia Dezong]. A posição [sentado com as mãos apoiadas sobre os joelhos], os pés descalços, as orelhas caídas e os cabelos arranjados em espiral, simbolizam o Buda que aparecerá para pregar o Dharma quando os ensinamentos estiverem completamente esquecidos, intitulado Buda Maitreya.
leshan2 (1).jpg leshan2.jpg leshan_giant_buddha__sichuan___chinaweb.jpg
Com 71 metros de altura e 28 metros de largura [ombros], sua magnitude é tamanha que Dafo foi a maior estátua do mundo até 1967 [ano da construção da estátua Pátria Mãe na Ucrânia]. Valas de drenagem escondidas no cabelo, no colar, no peito, e furos na parte de trás das orelhas minimizam os efeitos da erosão e de intemperes.
Buda de Leshan ALTURA.jpg leshan.jpg Leshan-Buddha-foot-rduta2.jpg leshan-queue.jpg
Durante as guerras no final da dinastia Yuan (1279-1368), a grande estrutura de madeira de 13 andares [construída para proteger da erosão], foi destruída porem ao contrário da triste história dos Budas de Bamiyan, a escultura foi poupada.
leshan043.jpg leshan08web.jpg
Navegue pelo Buda de Leshan

■ Templo de Jerusalém


salomao1.jpgEsquema do Templo9
A descrição na Torah, na Bíblia e no Corão do templo consagrado pelo Rei Salomão em 516 a.c, inspira a arquitetura sacra desde sua destruição no ano 70. As proporções de fachadas, plantas baixas assim como sua simbologia são perceptíveis em igrejas, mesquitas e sinagogas.
Em 2014 a Igreja cristã neopentecostal Universal do Reino de Deus, chamou a atenção por inaugurar a sua nova sede [70.000,00 m2] intitulando-a como Templo de Salomão e sendo divulgada como uma "réplica" do templo.
salomao_univ.jpgTemplo da Igreja Universal
O termo "réplica" foi erroneamente divulgado, entenda as diferentes interpretações:
salomaon.jpg
Descrição Bíblica:
"No ano quatrocentos e oitenta depois da saída dos filhos de Israel do Egito, Salomão, no quarto ano do seu reinado, no mês de Ziv, que é o segundo mês, empreendeu a construção do templo do Senhor.
O templo que o rei Salomão edificou ao Senhor tinha sessenta côvados de comprimento, vinte de largura e trinta de altura.
O pórtico, à entrada do templo, tinha vinte côvados de comprimento, o que igualava a largura do templo, e dez côvados de largura na frente do edifício.
salomao4.jpg
O rei fez no templo janelas com grades de madeira.
Construiu, encostados às paredes do edifício, andares que rodeavam o templo e o santuário. Cercou assim o edifício de quartos laterais.
O andar inferior tinha cinco côvados de largura, o do meio seis e o terceiro sete, porque se tinham posto encostas nos muros exteriores do templo para evitar que as vigas entrassem nas paredes do edifício.
Na construção do templo só se empregaram pedras lavradas na pedreira, de sorte que não se ouvia durante os trabalhos da construção barulho algum de martelo, de cinzel ou de outro qualquer instrumento de ferro.
A entrada do andar inferior encontrava-se do lado direito do edifício. Subia-se por uma escada em espiral ao andar do meio, e deste ao terceiro. Terminado o edifício, Salomão recobriu-o de tábuas e de forros de cedro.
salomao7.jpg
Os andares que construiu encostados em todo o edifício eram de cinco côvados de altura cada um e foram ligados ao templo por traves de cedro.
A palavra do Senhor foi então dirigida a Salomão nestes termos: Esta casa que tu edificas... se obedeceres às minhas leis, praticares os meus mandamentos e observares todos os meus preceitos, seguindo-os cuidadosamente, eu cumprirei em ti as promessas que fiz ao teu pai Davi: permanecerei no meio dos israelitas e não abandonarei Israel, meu povo.
Salomão terminou a construção do templo.
salomao01.jpg
Forrou o interior das paredes do edifício com placas de cedro, desde o pavimento até o teto; revestiu assim de madeira todo o interior e cobriu o pavimento com tábuas de cipreste.
Revestiu de tábuas de cedro, a partir do fundo do templo, desde o pavimento até o teto, um espaço de vinte côvados, que destinou ao santuário, ou santo dos santos.
Os quarenta côvados restantes constituíam a parte anterior do templo.
salomao6.jpg
Dentro do edifício o cedro era esculpido de coloquíntidas e flores abertas; tudo era de cedro; não se via a pedra.
Salomão dispôs o santuário no interior do templo, bem ao fundo, para ali colocar a arca da aliança do Senhor.
salomao arca.jpg
O santuário tinha por dentro vinte côvados de comprimento, vinte de largura e vinte de altura. Salomão revestiu-o de ouro fino, e cobriu o altar de cedro.
Revestiu de ouro fino o interior do edifício e fechou com cadeias de ouro a frente do santuário, que era também revestido de ouro.
A casa ficou assim inteiramente coberta de ouro, como também toda a superfície do altar que estava diante do santuário.
Fez no santuário dois querubins de pau de oliveira, que tinham dez côvados de altura.
Cada uma das asas dos querubins tinha cinco côvados, o que fazia dez côvados da extremidade de uma asa à extremidade da outra.
O segundo querubim tinha também dez côvados; os dois tinham a mesma forma e as mesmas dimensões.
Um e outro tinham dez côvados de altura. salomao5.jpg
Salomão pô-los no fundo do templo, no santuário. Tinham as asas estendidas, de sorte que uma asa do primeiro tocava uma das paredes e uma asa do segundo tocava a outra parede, enquanto as outras duas asas se encontravam no meio do santuário.
Revestiu também de ouro os querubins.
Mandou esculpir em relevo em todas as paredes da casa, ao redor, no santuário como no templo, querubins, palmas e flores abertas.
Cobriu de ouro o pavimento do edifício, tanto o do santuário como o do templo.
salomao011.jpg
Pôs à porta do santuário vigas de pau de oliveira; o seu enquadramento com as ombreiras ocupava a quinta parte da parede.
Nos dois batentes de pau de oliveira mandou esculpir querubins, palmas e flores desabrochadas, e cobriu-as de ouro; cobriu de ouro tanto os querubins como as palmas.
Para a porta do templo fez vigas de pau de oliveira que ocupavam a quarta parte da parede, bem como dois batentes de madeira de cipreste, sendo cada batente formado de duas folhas móveis.
Mandou esculpir nelas querubins, palmas e flores desabrochadas, e cobriu tudo de ouro, ajustado às esculturas.
Construiu, ao redor do átrio interior, um muro de três ordens de pedras talhadas e uma fileira de traves de cedro.
No mês de Ziv do quarto ano de reinado, foram lançados os fundamentos do templo do Senhor, e no ano undécimo, no mês de Bul, que é o oitavo mês, foi o templo acabado em todas as suas partes e em todos os seus pormenores. O templo foi construído em sete anos."
1 Reis 6:1-38

sábado, 4 de outubro de 2014

■ Igreja Sta Teresinha e NS do Carmo | Magé RJ | Autor Ed.Faust

■ Localização | Magé – Rio de Janeiro
■ Diocese de Petrópolis - Paróquia Imaculada Conceição
■ Pároco | Luiz Henrique Veridiano
■ Autor | Arq Eduardo Faust
■ Projetos | FAUST arquitetura & engenharia
■ Equipe | Arq Gustavo da Luz; Arq Renato Campos; Eng Conrado Faust


147 Conceito
147-IMG-04
147-IMG-01147-IMG-02147-IMG-03

147-IMG-05147-IMG-06147-IMG-07
IMG_23613497190139~2DSC_0006~3




domingo, 14 de setembro de 2014

■ Igreja NS Aparecida | Helvetia - Indaiatuba SP | Autor Ed.Faust

■ Localização | Indaiatuba – São Paulo
■ Pároco | Luiz Antônio do Canto Neto
■ Autor | Arq Eduardo Faust
■ Projetos | FAUST arquitetura & engenharia
■ Equipe | Eng Conrado Faust; Arq Gustavo da Luz; Arq Renato Campos


152 FAC 02

Helvetia é uma Colônia fundada por imigrantes suíços em 14 de Abril de 1888, na cidade de Indaiatuba, São Paulo.
Os helvetianos têm particular respeito por seu patrimônio histórico, cultural e religioso. Procuram preservar as tradições do país de origem através da música, dança, do canto Jodel e da culinária suíça, que podem ser apreciados anualmente na ocasião da Festa da Tradição , em que se comemora a data nacional suíça, o 1º de agosto.
Fonte: helvetia.org.br

152 CONC Helvetia 02
 Igreja Matriz NS de Lourdes – Helvetia
A Igreja Nossa Senhora Aparecida assim como a Igreja Matriz da Colônia, reinterpreta a linguagem arquitetônica das tradicionais Igrejas Suíças.
152 CONC Pesquisa
 Igrejas históricas suíças
152 FAC 01
152 FAC 04
152 CONC 02
Desenho de concepção
152 FAC 02
152 DT 05
152 INT central Alta2

152 INT direita
152 FAC 05

152 CONC 01
Geometrização do arco ogival



152 INT Aberturas
152 INT Altar e entrada
152 INT Altar
152 INT central
152 INT Santissimo